Buscar

Campo Grande tem pelo menos 11 pré-candidatos a prefeitoCampo Grande tem pelo menos 11 pré-candidatos a prefeito

Número garantiria segundo turno na capital de Mato Grosso do Sul.Um ex-prefeito deve disputar as eleições e enfrentar um irmão nas urnas.

Campo Grande tem 587.867 eleitores, segundo TRE-MS (Foto: Josane Cruz/Arquivo pessoal)

Campo Grande tem pelo menos 11 pré-candidatos a prefeito que devem disputar para administrar a capital de Mato Grosso do Sul em outubro de 2016. Terminou no sábado (2) o prazo de filiação partidária dos políticos que querem ser candidatos nas eleições. Parte das legendas ainda não definiu se terá candidatura própria ou se vai coligar.

Os nomes escolhidos deverão ser confirmados durante as convenções partidárias, realizadas entre 20 de julho e 5 de agosto. O atual prefeito, Alcides Bernal (PP), ainda não se posicionou sobre a disputa eleitoral. Ele que também é presidente regional do Partido Progressista diz que, por enquanto, o foco é trabalhar pela cidade.

PTBO ex-prefeito Nelson Trad Filho é considerado o pré-candidato a prefeito pelo partido, mas a confirmação só na convenção. Ele também é o presidente regional da sigla. Nelsinho administrou a capital sul-mato-grossense por dois mandatos pelo PMDB e se filiou ao atual partido em 2015.

PSDO partido tem o deputado estadual Marquinhos Trad como o escolhido para enfrentar os adversários e o irmão nas urnas em outubro. Parlamentar eleito pelo PMDB em 2014, trocou de sigla de março de 2016.

PMDBA única definição é a certeza de disputar a prefeitura. Por enquanto, quatro nomes estão em discussão e deve ser definido perto do prazo final das convenções partidárias. Entre eles, o do ex-prefeito de Campo Grande e ex-governador de Mato Grosso do Sul, André Puccinelli, e do deputado federal Carlos Marun.

PTOutra grande sigla que está em discussão para definir o candidato. Por enquanto, o deputado estadual Cabo Almi e o vereador Marcos Alex são os mais cotados para a disputa na chapa majoritária da capital.

PSDBPartido do governador Reinaldo Azambuja coloca dois nomes em evidência para enfrentar os 587.867 eleitores campo-grandenses. A vice-governadora Rose Modesto já se afastou da pasta que comandava para se preparar para o desafio, mas o secretário de Estado de Governo e Gestão Estratégica, Eduardo Riedel, também é cotado.

PSCO recém empossado a deputado estadual suplente Coronel Davi é o nome para defender o partido na disputa eleitoral pela prefeitura. A vaga no legislativo é o primeiro cargo político depois de se aposentar da Polícia Militar.

PSOLPartido nanico, mas sempre presente nas eleições, este não será diferente. O candidato será definido depois dos encontros dos dirigentes para construírem o plano de governo.

PDTPartido aliado da atual gestão, está fazendo pesquisa para definir sobre o encaminhamento eleitoral. Mas o nome da ex-vereadora Tereza Name é apontado como favorito para disputar a prefeitura. Ela deixou o PSD nessa última oportunidade.

PTNO engenheiro civil Aroldo Figueiró é a aposta da sigla.

PVO partido deve repetir a decisão da última eleição e disputar a prefeitura com o presidente regional e ex-vereador de Campo Grande, Marcelo Bluma.

PRCom a filiação do presidente da Federação das Indústrias do Estado de Mato Grosso do Sul (Fiems), Sérgio Longen, o partido viabiliza candidatura própria para majoritária.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.