Buscar

Desvio de função e até transferência de multas fazem MP investigar chefe do Detran

Servidora do órgão será notificada para prestar esclarecimentos ao Ministério Público

Gerson chefia Detran desde o ano passado (Foto: Correio do Estado/Arquivo)

O diretor-presidente do Departamento Estadual de Trânsito (Detran-MS), Gerson Claro Dino, é investigado pelo Ministério Público Estadual (MPE) por ser suspeito de praticar pelo menos quatro irregularidades. Procedimento preparatório foi transformado em inquérito civil e servidora do órgão será convocada para ser ouvida.

A 29ª Promotoria de Justiça do Patrimônio Público é responsável pela investigação e o promotor Fernando Martins Zaupa está a frente do inquérito.

Entre as irregularidades denunciadas ao MP estão uso de carro oficial e de servidor comissionado para assuntos particulares, transferências irregulares de multas de trânsito e também o uso do site oficial do Detran para fins pessoais.

A reportagem apurou que uma servidora do órgão será convocada para ser ouvida pelo promotor. A princípio, ela não seria a responsável por denunciar as irregularidades, mas teria proximidade com o presidente e poderia ajudar nas investigações.

O presidente do órgão deve ser notificado sobre a conversão do procedimento em inquérito.

A reportagem entrou em contato com a assessoria de imprensa do Detran para retorno sobre as denúncias, mas nenhum posicionamento foi dado até a publicação da reportagem. 

OUTRA APURAÇÃO

Na mesma publicação de hoje, o Ministério Público decidiu arquivar outra investigação aberta pelo órgão no fim do ano passado. 

Nessa investigação, Gerson Claro e o vice-diretor do Detran eram investigados por arquivar de forma indevida os processos administrativos de condutores penalizados que não teriam cumprido as penalidades. Sem provas suficientes, o MP acabou arquivando a apuração.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.