Buscar

Dólar fecha abaixo de R$ 3,60 e renova mínima em mais de 6 meses

Nas últimas 9 sessões, dólar recuou em 8; na semana, queda foi de 4,51%

O dólar fechou a semana em queda, encerrando a sexta-feira (11) abaixo de R$ 3,60 pela primeira vez desde agosto do ano passado, com o cenário político novamente sob o foco, após o Ministério Público paulista pedir a prisão preventiva do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e antes das manifestações contra o governo e a favor do impeachment marcadas para o domingo (13).A moeda norte-americana fechou em queda de 1,38%, vendida a R$ 3,591, renovando a mínima no ano e em mais de 6 meses.

A última vez que o dólar fechou abaixo de R$ 3,60 foi no dia 28 de agosto de 2015, quando foi cotado a R$ 3,5853.

Na semana, a queda acumulada foi de 4,51%. No mês, a desvalorização é de 10,3%. No ano, o dólar caiu 9,04%.

Nas últimas nove sessões, a moeda recuou em oito. O dólar marcou a terceira semana consecutiva de recuo forte, com investidores aumentando ainda mais as apostas em uma eventual troca no governo, segundo a agência Reuters.

O mercado comprou com força a ideia de que o governo Dilma não dura muito mais, disse à Reuters o operador Marcos Trabbold, da corretora B&T.

O Ministério Público de São Paulo pediu na véspera a prisão preventiva do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no caso envolvendo um tríplex no Guarujá, no qual é acusado de lavagem de dinheiro e falsidade ideológica.

Muitos operadores veem positivamente a aproximação das investigações de corrupção do governo da presidente Dilma Rousseff, mas alguns ponderam que as incertezas políticas podem dificultar a recuperação econômica.

Operadores avaliavam que o fim de semana deve ser marcado por dois eventos importantes no campo político: as manifestações de domingo e a convenção nacional do PMDB, que pode discutir o rompimento com o governo, destaca a Reuters.

Atuação do BC

Alguns operadores acreditavam que o Banco Central poderia usar a recente queda do dólar para reduzir seu suporte à moeda, após vender parcialmente os swaps cambiais no leilão de rolagem de sexta-feira da semana passada. No entanto, o BC vem mantendo desde então a oferta de até 9,6 mil contratos, equivalentes a venda futura de dólares, e vendendo lotes integrais.

Nesta sessão, o BC continuou na mesma toada e vendeu a oferta total. Ao todo, a autoridade monetária já rolou 4,131 bilhões de dólares, ou cerca de 41% do lote total para abril, que equivale a 10,092 bilhões de dólares.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.