Buscar

OAB quer Delcídio como testemunha em impeachment de Dilma

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) indicou o ex-líder do governo Dilma Rousseff no Senado Delcídio do Amaral (MS) como testemunha no pedido de impeachment da presidente petista, protocolado nesta segunda-feira na Câmara dos Deputados. Delator do escândalo do petrolão, 

Delcídio é apontado pela entidade como autor de declarações estarrecedoras, segundo as quais teria sido incumbido por Dilma de obstruir a Lava Jato e articular a aprovação do nome do ministro Marcelo Navarro para o Superior Tribunal de Justiça. Além dele, a OAB também sugere no rol de testemunhas José Eduardo Marzagão, ex-assessor do senador, e Bernardo Cerveró, filho do ex-diretor da Petrobras e da BR Distribuidora Nestor Cerveró, condenado na Operação Lava Jato e um dos delatores do petrolão. Em diálogo gravado por Bernardo Cerveró, Delcídio também falou sobre a nomeação de Navarro e tentativas de favorecer réus da Lava Jato, sobretudo seu pai Nestor. 

Já Marzagão utilizou da mesma tática que levou o ex-chefe para a cadeia e gravou oferta de ajuda política, jurídica e financeira, dentro do governo, feita a Delcídio pelo ministro da Educação, Aloizio Mercadante, um dos mais próximos interlocutores da presidente da República, conforme destaca a OAB. (Felipe Frazão, de Brasília)

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.