Buscar

Ônibus volta a parar na frente da escola de MS apenas em três horários

Itinerário mudou e alunos tiveram que passar a atravessar rodovia.Local sem sinalização preocupa e estudantes preferem sistema antigo.

O caminho da escola para estudantes que usam a linha 519 até o bairro Maria Aparecida Pedrossian continua perigoso, segundo reclamações de alunos. Com a mudança no itinerário no último sábado (7), eles passaram a atravessar a avenida ministro João Arinos, que dá acesso à BR-163 e 262.A Agência Municipal de Transporte e Trânsito (Agetran) fez acordo com a escola Dolor Ferreira de Andrade e estabeleceu que os ônibus da linha 519 passem em três horários, com maior fluxo de estudantes.Somente itinerários que saírem do bairro Noroeste às 6h, 6h30 e 12h40 vão parar em frente à escola. Esses horários são de maior movimentação de alunos. Esses horários foram definidos com todos os envolvidos e chegaram à conclusão que seria razoável esse atendimento, afirmou o diretor-presidente da Agetran, Elídio Pinheiro.

Antes o ônibus passava em frente à escola Dolor ferreira de Andrade, mas agora os estudantes precisam descer em um trecho movimentado da BR-262. As linhas 518 e 520 também sofreram alterações dos itinerários. A medida fez com que os ônibus passassem a entrar com mais frequência no bairro e reduziu o tempo de espera nos pontos.

Porém, moradores e estudantes estão descontentes com as mudanças e preferem que os ônibus voltem a trafegar no sistema antigo.Conforme a Agetran, as mudanças foram feitas para atender a legislação de trânsito. No trecho da rodovia, os ônibus que passam de um bairro para outro tinham que cruzar a pista num local de faixa contínua, o que é proibido. Agora, os motoristas vão até uma rotatória, a cerca de 1000 metros, para fazerem a manobra.A Agetran diz estar em negociação com o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) para fazer negociações viárias na avenida, no trecho que abrange a BR-262. A gente está negociando novos cruzamentos de maneira segura naqueles trechos, até que passe a ser uma área urbana, incorporada a área municipal, afirmou Elídio.

Ainda segundo o órgão, as empresas serão fiscalizadas e multas podem ser aplicadas em caso de descumprimento da determinação, ou seja, se desrespeitarem o trajeto determinado para que os alunos não precisem atravessar a rodovia.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.