Buscar

Paralisação por reajuste atingiu 20 escolas da Capital, afirma sindicato

Professores aguardam início de assembleia para decidir sobre proposta da prefeitura. (Foto: Simão Nogueira)

A paralisação de professores da Rede Municipal de Ensino, na manhã desta terça-feira (15), atingiu 20 escolas, segundo a ACP (Sindicato Campo-grandense dos Profissionais da Educação Pública). A medida foi tomada para pressionar a prefeitura municipal a conceder reajuste de 13,01%, referentes ao ano de  2015 e 11,36% de 2016. Pela manhã, o executivo propôs não questionar na Justiça a lei municipal que concede reajuste aos professores e pediu prazo até 20 de abril para oferecer contraproposta.

Mais de 100 profissionais aguardam o início de uma assembleia geral extraordinária, que estava marcada para às 14h15, na sede da ACP. Os profissionais daeducação vão decidir se aceitam ou não as condições propostas pela prefeitura da Capital. A estimativa do sindicato é reunir 300 pessoas na reunião.

Uma professora que não quis se identificar, adiantou que quer o reajuste salarial “o quanto antes”.

Segundo o presidente da ACP, Lucílio Souza Nobre, entre os participantes da assembleia estão representantes dos centros de educação infantil, que não aderiram a paralisação, mas estão no local para apoiar o movimento e lutar pelo reajuste.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.