Buscar

Prefeitura da Capital anuncia devassa na folha de pagamento dos concursados

Análise começa em março e deve durar pelo menos dez meses

A Prefeitura de Campo Grande inicia no próximo mês análise da vida funcional dos mais de 22 mil servidores concursados. A expectativa é detectar se há irregularidades no pagamento de vantagens a eles. De acordo com o secretário de Planejamento, Finanças e Controle, Disney Fernandes, a última medida neste sentido foi tomada há mais de 20 anos, entre 1994 e 1996, com duração de 18 meses, por isso o trabalho é de médio a longo prazo.

Na época da realização a cidade era comandada por Juvência César da Fonseca (PMDB). André Puccinelli (PMDB) foi eleito prefeito da Capital em 1996, cargo que ocupou por oito anos. Em seguida o sucessor foi Nelson Trad Filho, do mesmo partido até então, e ficou no Paço por dois mandatos até a eleição de Alcides Bernal (PP) em 2012.

“Então são mais de 20 anos sem fazer essa vistoria em relação às vantagens que o servidor tem. Há duas décadas foram constatadas 8,2% de irregularidades. Agora não temos como saber. Pode ser que haja mais ou que haja 0%”, explicou o titular da Seplanfic.

O intuito é detectar se concursados recebem vantagens regulamente. “Se houver alguém irregular não podemos mandar embora (por ser concursado), mas vamos cortar a vantagem indevida”, completou.  Ele fez questão de destacar que a análise não engloba comissionados e os defendeu.

Vocês (imprensa) tem o costume de bater nisso. Em termos financeiros isso nem tem impacto, o importante é colocar gente competente. A visão é político/administrativa porque mais ou menos comissionados não vai fazer diferença na minha folha (de pagamento), finalizou.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.