Buscar

Presidente Dilma pode ser afastada do cargo no dia 17 de maio

Admissibilidade do processo pode ser votada pelo Senado nesta data

Dilma pode ser afastada do cargo no dia 17 de maio (Foto: Wilson Dias/Agência Brasil)

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), planeja votar em plenário no dia 17 de maio, uma terça-feira, a admissibilidade do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff, que, se aprovado, levará ao afastamento.

A reportagem teve acesso a um calendário por escrito montado pelo senador com seis etapas até a votação no dia 17.

A primeira é a leitura nesta terça (19) da decisão da Câmara, que aprovou a abertura do processo no último domingo (17). O próximo passo é sexta (22), prazo final para indicação dos membros da comissão.

O calendário então menciona o dia 26 para eleição desta comissão em plenário e cita sua instalação como possivelmente no mesmo dia ou na quarta (27).

O quinto passo do rito menciona as datas de 10 e 11 de maio para votação do parecer na comissão especial. A partir daí, o documento destaca a necessidade de 48 horas para que a decisão seja levada à plenário.

O último ponto do calendário estabelece então 17 de maio, uma terça-feira, como votação em plenário, já que, pela interpretação de Renan, não pode ocorrer sessão deliberativa às sextas e segundas.

O presidente do Senado reuniu-se com líderes dos partidos nesta terça para definir o rito. A oposição, pró-impeachment, pressiona para que a trâmite seja acelerado, mas o senador, próximo politicamente da presidente Dilma Rousseff, sinaliza que não vai ceder.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.