Buscar

Rapaz morto em troca de tiros em MS é suspeito de 50 assassinatos no Pará

Suspeito também chefiava grupo de traficantes no Pará, segundo a polícia.Policiais encontraram suspeito na quarta-feira após prisão de comparsas.

O jovem de 27 anos morto ao trocar tiros com policiais na quarta-feira (6), em Campo Grande, é suspeito de assassinar pelo menos 50 pessoas e chefiar criminosos envolvidos com tráfico de drogas no Pará, segundo a Polícia Civil. Ele foi baleado em uma casa na região do Jardim São Caetano, na região noroeste da capital sul-mato-grossense.Ao ser ferido, o rapaz foi encaminhado para um posto de saúde de Campo Grande, mas não resistiu. Policiais do Garras estavam há uma semana procurando o rapaz em conjunto com policiais do Pará. Ele estava foragido das Justiça. A arma que teria sido usada pelo jovem para enfrentar cinco policiais foi apreendida.

TirosDe acordo com as investigações, o jovem tinha sete mandados de prisão em aberto por tráfico de drogas, homicídios e roubo a bancos. O delegado Fábio Peró, adjunto da adjunto da Delegacia Especializada de Repressão a Roubos a Bancos, Assaltos e Sequestros (Garras), disse que o rapaz estava na varanda quando os policiais chegaram e abriram o portão.Assim que o time tático entrou, ele prontamente sacou o revólver que estava na cintura e efetuou três disparos na equipe, sendo que dois foram deflagrados e um somente percutiu, a munição acabou não sendo deflagrada, explicou o delegado. Ele acrescentou que por sorte a equipe do Garras não foi atingida e o rapaz acabou sendo baleado por um disparo. O suspeito morreu no posto de saúde.ComparsasA polícia chegou até o suspeito após a prisão de dois comparsas, perto da rodoviária de Campo Grande. Investigações apontam que eles estavam em Mato Grosso do Sul para negociarem uma tonelada de maconha, mas a compra não foi concluída. Além disso, eles usavam documentos falsos.

Ainda segundo a Polícia Civil, a dupla e o jovem morto na troca de tiros tem passagens por tráfico de drogas. Os investigadores apuram o responsável por negociar a venda da droga, em Mato Grosso do Sul, que seria distribuída no nordeste do país.

Um dos comparsas presos foi autuado por uso de documento falso e o outro foi dado cumprimento ao mandado, segundo Peró. O delegado disse ainda que a Justiça poderá encaminhá-los para o Pará.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.