Buscar

Temendo ficar sem reajuste, professores aceitam parcelamento

Novela do parcelamento de 2014 pode se repetir neste ano

Prefeito participou de evento da Reme (Foto: Valdenir Rezende/Correio do Estado)

O pagamento do reajuste dos professores que atuam na rede municipal de Campo Grande pode repetir a mesma situação de 2014, quando o aumento foi dividido em parcelas. A categoria aceitará o parcelamento do reajuste para não ficar sem nada, já que ao que tudo indica, a prefeitura não terá condições financeiras de pagar o aumento integral de 11,36%.

Vice-presidente da Associação Campo-Grandense dos Professores (ACP), Zélia Aguiar, afirma que os professores só aceitarão reajuste de índice conforme o previsto em lei.

“Do contrário, a gente rasga a lei e fica quieto na escola, nada que venha abaixo a categoria aceitará”, disse a vice-presidente. Ainda segundo Zélia, a categoria pode aceitar o parcelamento do aumento.

Durante lançamento dos projetos de 2016 da Rede Municipal de Ensino (Reme), o prefeito Alcides Bernal (PP) voltou a afirmar que dará aumento aos profissionais, mas não detalhou índice ou data para tanto.

A próxima assembleia da categoria acontecerá na quinta-feira (17) e até lá não há nenhum encontro agendado entre os professores e o prefeito para tratar do aumento. 

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.